Atualização científica

Redução do Risco Cardiovascular

Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2019

Redução do Risco Cardiovascular com Icosapent Ethyl para Hipertrigliceridemia

REDUCE-IT

Deepak L. Bhatt, P. Gabriel Steg, Michael Miller, et al

Fonte: N Engl J Med2019;380:11-22 

Base Teórica: Pacientes com elevação do nível de triglicerídeos tem aumento do risco de eventos isquêmicos. Icosapent Ethyl, um éster etílico do ácido eicosapentaenóico altamente purificado, reduz os níveis de triglicerídeos, mas dados são necessários para determinar seu efeito nos eventos isquêmicos.

Métodos: Nós realizamos um estudo multicêntrico, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, incluindo pacientes com doença cardiovascular estabelecida ou com diabetes e outros fatores de risco, que estavam recebendo estatina e que tinham nível sérico de triglicerídeo entre 135 e 499 mg/dL e de HDL entre 41 a 100 mg/dL. Os pacientes foram randomicamente alocados para receber 2 g de Icosapent Ethyl duas vezes ao dia (dose total 4 g) ou placebo. O desfecho primário foi um composto de morte cardiovascular, infarto do miocárdio não fatal, acidente vascular encefálico não fatal, revascularização coronariana ou angina instável. O desfecho secundário foi um composto de morte cardiovascular, infarto do miocárdio não fatal ou acidente vascular encefálico não fatal.

Resultados: Um total de 8179 pacientes foram incluídos (70,7% em prevenção cardiovascular secundária) e foram seguidos por uma média de 4,9 anos. O evento primário aconteceu em 17,2% dos pacientes no grupo Icosapent Ethyl em comparação com 22% dos pacientes no grupo placebo (hazardratio 0,75; intervalo de confiança [IC95%] 0,68 a 0,83; P<0,001); as taxas correspondentes para o desfecho secundário foram 11,2 e 14,8% (hazard ratio 0,74; IC95% 0,65 a 0,83;P<0,001). As taxas de eventos isquêmicos adicionais, avaliadas de acordo com esquema hierárquico predefinido, foram significativamente mais baixas no grupo Icosapent Ethyl do que no grupo placebo, incluindo a taxa de morte cardiovascular (4,3% vs 5,2%; hazard ratio 0,80; IC95% 0,66 a 0,98; P=0,03). Um percentual maior de pacientes no grupo Icosapent Ethyl do que no grupo placebo foram hospitalizados por fibrilação atrial ou flutter (3,1% vs 2,1%, P=0,004). Sangramento grave ocorreu em 2,7% dos pacientes do grupo Icosapent Ethyl e 2,1% dos pacientes no grupo placebo (P=0,06).

Conclusão: Entre pacientes com níveis elevados de triglicerídeos apesar do uso de estatinas, o risco de eventos isquêmicos agudos, incluindo morte cardiovascular, foram significativamente mais baixos entre aqueles que receberam 2g de Icosapent Ethyl duas vezes ao dia do que entre aqueles que receberam placebo.