Atualização científica

Pré-diabetes, doença cardiovascular e mortalidade

Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2016

Associação entre pré-diabetes e risco de doença cardiovascular e mortalidade por todas as causas: revisão sistemática e metanálise

Yuli Huang, Xiaoyan Cai Weiyi Mai, Meijun Li, Yunzhao Hu

FonteBMJ 2016;355:i5953

Objetivos: Avaliar associações entre diferentes definições de pré-diabetes e o risco de doença cardiovascular e mortalidade por todas as causas.

Desenho: Metanálise de estudos de coorte prospectivos.

Fonte de dados: Databases eletrônicas (PubMed, Embase e Google escolar).

Critério de seleção: Estudos de coorte prospectivos em população geral foram incluídos para metanálise se eles reportassem risco relativo ajustado com intervalo de confiança de 95% para associação entre o risco de desfecho composto por doença cardiovascular, doença coronariana, AVE, mortalidade por todas as causas e pré-diabetes.

Métodos de revisão: Dois autores independentemente revisaram e selecionaram os estudos elegíveis baseados nos critérios de seleção predeterminados. Pré-diabetes foi definida como glicemia de jejum alterada de acordo com a Associação Americana de Diabetes (GJA-ADA; glicemia de jejum 100 – 125 mg/dL), com a Organização Mundial da Saúde (GJA-OMS; glicemia de jejum 110 – 125 mg/dL), intolerância aos carboidratos (glicemia após 2 horas em teste oral de tolerância a glicose 140 – 199 mg/dL) ou HbA1c elevada de acordo com a ADA (5,7 – 6,4%) ou com o Instituto Nacional de Excelência em Saúde e Cuidados (NICE) (6,0 – 6,4%). O risco relativo para mortalidade por todas as causas e eventos cardiovasculares foram calculados e reportados com intervalos de confiança de 95%.

Resultados: 53 estudos de coorte prospectivos com 1.611.339 indivíduos foram incluídos para análise.  O tempo mediano de seguimento foi de 9,5 anos. Comparado com normoglicemia, pré-diabetes (glicemia de jejum alterada de acordo com ADA ou OMS ou intolerância aos carboidratos) foi associado com aumento do risco do composto de doença cardiovascular (risco relativo 1,13, 1,26, e 1,30 para GJA-ADA, GJA-OMS e intolerância aos carboidratos, respectivamente), de doença coronariana (1,10, 1,18 e 1,20, respectivamente), AVE (1,06, 1,17 e 1,20, respectivamente) e de mortalidade por todas as causas (1,13, 1,13 e 1,32, respectivamente). Aumento na HbA1c para 5,7 – 6,4% ou 6,0 – 6,4% foram ambas associadas com aumento do risco do composto de doença cardiovascular (1,21 e 1,25, respectivamente) e doença coronariana (1,15 e 1,28, respectivamente), mas não com aumento do risco de AVE e mortalidade por todas as causas.

Conclusões: Pré-diabetes, definido como intolerância aos carboidratos, glicemia de jejum alterada ou A1c elevada, foi associada com aumento de risco cardiovascular. O risco pode estar aumentado em pessoas com glicemia de jejum tão baixa quanto 100 mg/dL ou A1c de 5,7%.