Atualização científica

CPAP para prevenção de eventos cardiovasculares na

Quinta-feira, 15 de Setembro de 2016

CPAP para prevenção de eventos cardiovasculares na apneia obstrutiva do sono

R. Doug McEvoy, Nick A. Antic, Emma Heeley, et al

Fonte: New England Journal of Medicine, online first, August 28, 2016

Base teórica: A apneia obstrutiva do sono é associada ao aumento do risco de eventos cardiovasculares; se o tratamento com pressão positiva contínua na via aérea (CPAP) previne eventos cardiovasculares maiores é incerto.

Métodos: Após um ano de “run-in” no qual os participantes utilizaram CPAP falso, nós randomizamos 2717 pacientes adultos entre 45 e 74 anos que tinham apneia obstrutiva do sono moderada a grave e doença coronariana ou cérebro-vascular para receber tratamento com CPAP e cuidado usual (grupo CPAP) ou cuidado usual isolado (grupo cuidado usual). O desfecho primário composto foi morte cardiovascular, infarto do miocárdio, acidente vascular encefálico, hospitalização por angina, insuficiência cardíaca ou acidente isquêmico transitório. Desfecho secundário incluiu outros desfechos cardiovasculares, qualidade de vida relacionada à saúde, sintomas de ronco, sonolência diurna e humor.

Resultados: A maioria dos participantes eram homens com apneia obstrutiva do sono moderada a grave e mínima sonolência. No grupo CPAP, a duração média da aderência ao tratamento com CPAP foi de 3,3 horas por noite, e o índice médio de apneia-hipopneia (número de apneias ou hipopneias por hora de gravação) caiu de 29 episódios por hora no basal para 3,7 eventos por hora durante o seguimento. Após uma média de seguimento de 3,7 anos, o desfecho primário ocorreu em 229 participantes no grupo CPAP (17%) e em 207 participantes no grupo cuidado usual (15,4%) (hazard ratio com CPAP 1,10; intervalo de confiança de 95%, 0,91 a 1,32; P=0,34). Não foi observado efeito significativo em qualquer desfecho cardiovascular composto ou individual. O CPAP significativamente reduziu o ronco e a sonolência diurna e melhorou a qualidade de vida relacionada à saúde e o humor.

Conclusões: A terapia com CPAP mais cuidado usual, em comparação com cuidado usual isoladamente, não preveniu eventos cardiovasculares em pacientes com apneia obstrutiva do sono moderada a severa e doença cardiovascular estabelecida.