Atualização científica

Redução da Pressão Arterial e do Colesterol

Quinta-feira, 05 de Maio de 2016

Redução da Pressão Arterial e do Colesterol em Pessoas sem Doença Cardiovascular

Salim Yusuf, Eva Lonn, Prem Pais, et al, for hte HOPE-3 Investigators.

Fonte: New England Journal of Medicine, 02 de abril de 2016

Base Teórica: A pressão arterial e o LDL elevados aumentam o risco de doença cardiovascular. Reduzir ambos pode reduzir o risco de eventos cardiovasculares substancialmente.

Métodos: Em um estudo 2x2, nós randomizamos 12.705 participantes com risco intermediário e sem doença cardiovascular prévia para rosuvastatina 10 mg ao dia ou placebo e para candesartan 16 mg mais hidroclorotiazida 12,5 mg ou placebo. Na análise aqui relatada, nós comparamos os 3180 pacientes alocados para receber a terapia combinada (rosuvastatina e anti-hipertensivos) com os 3168 participantes alocados para receber duplo placebo. O desfecho primário foi o composto de morte cardiovascular, infarto do miocárdio não-fatal ou acidente vascular encefálico não-fatal, e o desfecho secundário incluiu adicionalmente insuficiência cardíaca, parada cardíaca e revascularização. O seguimento médio foi de 5,6 anos.

Resultados: A redução do nível de LDL foi 33,7 mg/dL maior no grupo da terapia combinada que no grupo duplo placebo, e a redução da pressão arterial sistólica foi 6,2 mmHg maior no grupo da terapia combinada. O desfecho primário ocorreu em 113 participantes (3,6%) no grupo da terapia combinada e em 157 (5,0%) no grupo duplo placebo (Hazard ratio 0,71; intervalo de confiança de 95% [IC95%] 0,56 a 0,90; P=0,005). O desfecho secundário ocorreu em 136 (4,3%) e em 187 participantes (5,9%), respectivamente (Hazard ratio, 0,72; IC 95% 0,57 a 0,89; P=0,003). Fraqueza muscular e tontura foram mais comuns no grupo da terapia combinada que no grupo placebo, mas a taxa geral de suspensão do tratamento foi semelhante entre os grupos.

Conclusão: A combinação de rosuvastatina 10 mg, candesartan 16 mg e hidroclorotiazida 12,5 mg foi associada a  taxa significativamente menor de eventos cardiovasculares que o duplo placebo em pessoas com risco cardiovascular intermediário sem eventos cardiovasculares prévios.