Atualização científica

Controle Pressão Arterial Versus Tratamento Padrão

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2015

Estudo randomizado sobre o controle intensivo da pressão arterial versus tratamento padrão

Grupo de pesquisa SPRINT

Fonte: New England Journal of Medicina, novembro 2015

Base teórica: Os alvos de pressão arterial mais apropriados para a redução da morbidade e mortalidade cardiovascular entre pessoas sem diabetes permanecem incertos.

Métodos: Nós randomizamos 9361 pessoas com pressão sistólica de 130 mmHg ou mais e alto risco cardiovascular, mas sem diabetes, para alvo de pressão sistólica abaixo de 120 mmHg (tratamento intensivo) ou para abaixo de 140 mmHg (tratamento padrão). O desfecho composto primário foi infarto do miocárdio, outras síndromes coronarianas agudas, acidente vascular encefálico, insuficiência cardíaca ou morte cardiovascular.

Resultados: Em 1 ano, a média da pressão sistólica foi de 121,4 mmHg no grupo de tratamento intensivo e 136,2 mmHg no grupo de tratamento padrão. A intervenção foi suspensa precocemente depois de um seguimento médio de 3,26 anos devido à redução significativa do desfecho primário no grupo de tratamento intensivo em relação ao grupo de tratamento padrão (1,65% por ano vs 2,19%; risco relativo [RR] com tratamento intensivo 0,75; intervalo de confiança 95 % [IC95%] 0,64 a 0,89; P<0,001). A mortalidade por todas as causas também foi significativamente mais baixa no grupo de tratamento intensivo (RR 0,73; IC95% 0,60 a 0,90; P=0,003). As taxas de eventos adversos como hipotensão, síncope, anormalidades eletrolíticas e lesão renal aguda, mas não quedas, foram mais frequentes no grupo de tratamento intensivo.

Conclusão: Entre pacientes de alto risco cardiovascular sem diabetes, o alvo da pressão arterial em 120 mmHg, em comparação com 140 mmHg, resultou em taxas mais baixas de eventos cardiovasculares fatais e não-fatais maiores e morte por qualquer causa, embora taxa mais elevada de alguns eventos adversos tenha sido observada neste grupo de tratamento intensivo.