Atualização científica

Antidepressivos na Lactação

Quinta-feira, 20 de Agosto de 2015

QUAIS ANTIDEPRESSIVOS PODEMOS PRESCREVER NA LACTAÇÃO?  
AMAURY CANTILINO JOEL RENNÓ JR. HEWDY LOBO RIBEIRO JULIANA PIRES CALVASAN RENATA DEMARQUE JERÔNIMO DE A. MENDES RIBEIRO GISLENE VALADARES RENAN ROCHA ANTÔNIO GERALDO DA SILVA
 
Fonte: Revista Debates em Psiquiatria, Ano 5, n°1, jan/fev 2015 ISSN 2236-918X
 
Resumo

Depressão materna não tratada está associada a sofrimento significativo para a mãe, a criança e a família. Ela afeta a capacidade de a mãe interagir adequadamente com seu filho. Médicos se preocupam com o tratamento farmacológico durante esse período, em função da exposição dos recém-nascidos ao medicamento no leite materno. Este artigo sugere que, quando o tratamento com antidepressivos for indicado para depressão pós-parto, as mulheres geralmente não devem ser aconselhadas a interromper a amamentação. Quanto à escolha do antidepressivo específico, paroxetina e sertralina devem ser considerados em primeiro lugar. Embora algum cuidado exista em relação à fluoxetina, ao citalopram e à venlafaxina, devido às altas concentrações dessas substâncias no leite humano, os médicos devem considerar que, se a mãe foi eficazmente tratada com um desses medicamentos durante a gravidez, geralmente também é aceitável que o tratamento com o mesmo medicamento seja mantido (em vez de mudar para outro antidepressivo), mesmo que a mãe esteja amamentando.
 

www.abp.org.br/download/2015/RDP/RDP1.pdf