Atualização científica

Início de Terapia Antirretroviral

Terça-feira, 04 de Agosto de 2015

Início de Terapia Antirretroviral na Infecção Precoce e Assintomática pelo HIV

The INSIGHT START Study Group

Fonte: New England Journal of Medicine, 20 de julho de 2015

Base Teórica: Faltam dados de estudos randomizados sobre os riscos e benefícios de iniciar a terapia antirretroviral em pacientes com infecção assintomática pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) com contagem de CD4+ acima de 350 células/mm³.

Métodos: Nós randomizamos adultos HIV-positivos com contagem de CD4+ acima de 500 células/mm³ para iniciar terapia antirretroviral imediatamente (grupo início imediato) ou para postergar o tratamento até que a contagem de CD4+ caia a 350 células/mm³ ou até o desenvolvimento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) ou outra condição que indique o uso de terapia antirretroviral (grupo tratamento postergado). O desfecho primário composto foi qualquer evento grave relacionado à SIDA, eventos graves não relacionados à SIDA, ou morte por qualquer causa.

Resultados: Um total de 4.685 pacientes foram seguidos por uma média de 3 anos. Na entrada no estudo, a carga viral média foi de 12.759 cópias/mm³, e a contagem de CD4+ média de 651 células/mm³. Em 15 de maio de 2015, baseado em uma análise interina, o conselho de monitorização de dados e segurança determinou que a questão do estudo havia sido respondida e recomendou que a terapia antirretroviral fosse oferecida aos pacientes do grupo tratamento postergado. O desfecho primário ocorreu em 42 pacientes do grupo início imediato (1,8%; 0,60 eventos por 100 pessoas-ano), em comparação com 96 pacientes no grupo tratamento postergado (4,1%; 1,38 eventos por 100 pessoas-ano), com razão de risco de 0,43 (Intervalo de Confiança [IC] de 95%, 0,30 a 0,62; P<0,001). A razão de risco para eventos graves relacionados à SIDA e eventos graves não relacionados à SIDA foi de 0,28 (IC 95%, 0,15 a 0,50; P<0,001) e 0,61 (IC 95% 0,38 a 0,97; P=0,04), respectivamente. Mais de dois terços dos desfechos primários (68%) ocorreram em pacientes com contagem de CD4+ acima de 500 células/mm³. O risco de um evento grau 4 foi similar nos dois grupos, assim como o risco de admissões hospitalares.

Conclusões: O início de terapia antirretroviral em adultos HIV-positivos com CD4+ acima de 500 células/mm³ resultou em benefícios em relação ao início da terapia após queda da contagem de CD4+ a 350 células/mm³.