Atualização científica

Redução na Prevalência de Infecção Oral por HPV

Quinta-feira, 25 de Julho de 2013

A infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV), especialmente com o tipo 16, causa um percentual crescente dos cânceres de orofaringe, cuja incidência vem aumentando, principalmente em países desenvolvidos. Em um ensaio clínico controlado duplo-cego conduzido para investigar a eficácia da vacina bivalente HPV 16/18 contra infecções e lesões cervicais, foi estimada a eficácia da vacina contra infecção oral por HPV 4 anos após a vacinação.

Um total de 7.466 mulheres entre 18 e 25 anos foram randomizadas (1:1) para receber a vacina para o HPV 16/18 ou vacina para a hepatite A como controle. Ao final do período de 4 anos de acompanhamento, 5.840 participantes forneceram amostras orais (91,9% das mulheres elegíveis) para avaliar a eficácia da vacina contra infecções orais. A análise principal avaliou a prevalência de infecção oral por HPV entre todas as mulheres vacinadas com resultados de HPV oral e cervical. A eficácia da vacina na prevenção da infecção cervical por HPV 16/18 foi calculada para comparação. A prevalência de HPV na mucosa oral foi relativamente baixa (1,7%). Cerca de quatro anos após a vacinação, havia uma prevalência de 15 casos de infecção oral por HPV 16/ 18 no grupo controle e um caso no grupo vacinado, com uma eficácia da vacina estimada em 93,3% (IC 95% 63% a 100%). A eficácia da vacina contra HPV 16/18 cervical para a mesma coorte e no mesmo momento foi de 72% (IC 95% 63% a 79%) (vacina mais eficaz na prevenção da infecção oral, p=0,04). Não houve proteção estatisticamente significativa contra outras infecções orais por HPV, embora o poder do estudo seja limitado para essa análise.  

A prevalência de HPV quatro anos após a vacinação com ASO4 HPV 16/18 foi muito menor entre mulheres que receberam a vacina quando comparadas com o grupo controle, sugerindo que a vacina confere forte proteção contra a infecção oral por HPV 16/18, com implicações potencialmente importantes na prevenção do câncer de orofaringe associado ao HPV.  ClinicalTrials.gov, Registry number NCT00128661.

NOTA DA AMP: Embora ainda estejam pendentes estudos em indivíduos do sexo masculino, em função do potencial protetor da vacina para HPV em relação ao câncer de orofaringe, o CDC recomenda a vacinação não só de pré-adolescentes (entre 11 e 12 anos) do sexo feminino, mas também de pré-adolescentes de sexo masculino na mesma faixa etária.